Marina - Carlos Ruiz Zafón

Alô! Tudo bem?

Marina, de Carlos Ruiz Zafón, 192 páginas, editora Suma de Letras.

Sinopse: Óscar Drai é um adolescente que vive em um internato, mas diariamente passeia pela enorme Barcelona. Em uma dessas andanças, ele se sente atraído por um casarão e acaba entrando. Lá dentro, ele se encanta com uma linda música e um antigo relógio de bolso quebrado, que está próximo. Ao perceber que o dono da casa se aproxima, ele sai correndo da casa assustado e sem perceber, acaba levando o relógio junto. Dias depois, sentindo-se culpado pelo “furto”, ele retorna a casa para devolver o objeto e acaba conhecendo a jovem Marina, filha de Gérman, proprietário da casa. Os dois desenvolvem uma delicada amizade e começam a explorar a cidade, deparando-se com um sinistro cemitério onde uma misteriosa mulher de manto negro visita uma sepultura sem nome, sempre na mesma data e hora. Além disso, a dupla se envolve em uma trama inimaginável, envolvendo situações por toda a cidade, deparando-se com bonecos ventríloquos, manequins vivos e uma estranha mariposa negra que parece estar sempre presente.

Pelos olhos de Óscar, Carlos Ruiz Zafón surpreende em uma história linda, misteriosa e triste. É o terceiro livro que leio dele e o confirma ainda mais na minha lista de autores maravilhosos. Ainda que Carlos possua uma “fórmula” em seus romances (personagem solitário e perdido na vida mete-se em mistério absurdo em que acaba se envolvendo até demais), cada um tem sua essência especial. Marina é um livro que mistura romance e inocência (e até um terrorzinho às vezes) do qual recomendo a todos.


Por falar em Ruiz Zafon, na primeira semana de junho chega às lojas a continuação do perfeito A Sombra do Vento. A continuação intitulada “O Prisioneiro do Céu” será lançada pela Suma de Letras. O meu já está encomendado *o*

Formô!