Guerra dos Tronos - George R. R. Martin


Alô! Tudo bem ai?
Guerra dos Tronos, de George R.R. Martin, Livro 1 das Crônicas de Gelo e Fogo, 591 páginas, Editora Leya.


Westeros é a terra fantástica composta pelos Sete Reinos (dentre outras terras) em que ocorre a história. Eddard "Ned" Stark é o senhor de Winterfell, no Norte, onde vive com sua mulher, os filhos e seus criados e ‘comparsas’. Repentinamente, ele recebe a visita de um antigo amigo: o rei Robert Baratheon (atual ocupante do Trono de Ferro) e sua corte real. Robert pede para que Ned regresse a Porto Real com ele para assumir o cargo de Mão do Rei (uma espécie de secretário, faz-tudo, porta-voz). O senhor do norte hesita, mas acaba aceitando, pois neste meio tempo sua esposa Catelyn recebe uma carta secreta de sua irmã (viúva de Jon Arryn, o antigo Mão do Rei) afirmando que suspeita que o marido tenha sido assassinado pelos Lannister (família da rainha). Já em Porto Real, Ned se vê imerso em uma intriga sem tamanho (quando começa a entender o que pode ter levado Jon à morte) e um desespero em manter o reino (e a própria vida e a de sua família) a salvo.

Ao norte de Winterfell existe a gigantesca Muralha de gelo, que separa Westeros “do outro lado” onde habitam Os Outros (momento LOST), seres misteriosos e assassinos também conhecidos como “os caminhantes brancos”. Na Muralha existe a Patrulha da Noite, uma espécie de exercito formado por homens de preto juramentados em proteger o local até o fim de seus dias. Jon Snow, filho bastardo de Ned, decide se juntar á Patrulha junto ao seu tio, mas as coisas tornam-se perigosas desde o início.

 Enquanto isso do outro lado do continente, os irmãos Viserys e Daenerys Targaryen foram os que “sobraram” da família ‘do sangue do dragão’. O pai de ambos e o antigo rei dos Sete Reinos perdeu o trono (e a vida dele e da família inteira) em batalhas que fizeram Robert o atual rei. Obcecado por vingança, Viserys vende a irmã para Khal Drogo, líder do maior exercito de selvagens a cavalo que as terras já viram, em troca de apoio para (tentar) reconquistar o trono. 
e seu eu olhar pra essa foto de novo vou chorar. Porra, George Martin :(

Qualquer coisa que eu pudesse dizer sobre o quão perfeito foi ler Guerra dos Tronos seria um clichê, e “clichê” é uma palavra que simplesmente não existe neste livro. Sério. Esqueça o “bem sempre vence o mal”, “mocinhos triunfam”, e tudo mais que conhecemos a respeito de séries. Enquanto esquecemos isto, acabamos por nos familiarizar com casas como Stark, Lannister, Baratheon e Targaryen como se fossem nossas. Guerra dos Tronos é extremamente rico em detalhes, personagens, lugares, acontecimentos e emoções. Nas últimas páginas do livro encontramos um apêndice (leia depois de terminar, contem spoilers) pra lembrar de todo mundo e mapas pra nos localizarmos na trama. De qualquer forma acabei recorrendo a uma arvore genealógica do Google pra me localizar. Apesar do tamanho (do qual nem se vê passar), o livro é uma viagem completa, riquíssima e maravilhosa, de passar momentos emocionantes e outros de ter vontade de destruir tudo de raiva. E é só o primeiro livro.
E o seriado da HBO?
Cara, vou falar apenas do que eu assisti, ou seja, da primeira temporada. Está super fiel ao livro. Sério. Até nos diálogos. Uma boa ideia é assistir depois de ler, pra relembrar os fatos, ou até durante como eu fiz. Obviamente o livro é mais rico, mas a temporada não deixa nada a desejar. Mas larguem mão de ser preguiçosos e leiam. Risos. Ou não.

Formô!