Dexter - A Mão Esquerda de Deus - Jeff Lindsay

(19/11 - Sei que estou em falta com vocês, mas assim que eu me desocupar um pouquinho ou que o semestre acabar (tá quase) você serão recompensados :)
Opa! Tudo bom?


Dexter foi uma série que entrou na minha vida meio do nada e já nos primeiros episódios ganhou totalmente meu coração. Com isso, resolvi ir atrás da série de livros que deu origem ao seriado. Hoje falarei do primeiro volume.

Dexter - A Mão Esquerda de Deus, de Jeff Lindsay, Volume I da série Dexter, 272 páginas, Editora Planeta

Sinopse: Dexter é o simpático perito especialista em sangue da polícia de Miami. Porém, também é um frio serial-killer. Diferente do tradicional, Dexter escolhe apenas vítimas que “merecem morrer”, tais como outros assassinos e etc. Neste livro, o personagem depara-se com um assassino com um estilo parecido com o seu: deixando as vítimas embrulhadas em pedacinhos. Além disto, ao que parece, o assassino está deixando alguma mensagem para Dexter.

É um pouco complicado ler um livro já tendo visto a adaptação pras telas sem ir com expectativa. Quase impossível. Neste caso, o livro dá uma base bem sólida de detalhes, mas a série é muito mais rica em conteúdo e suspense. Eu por exemplo, não ficava tão ansiosa pelo próximo capitulo (acho que porque, em tese, já sabia o que ia acontecer)
Falando apenas do livro, é um bom suspense sim, bem escrito e bem “tramado”. Dexter é, com o perdão da música, totalmente demais. Extremamente irônico e perspicaz. (Ou seja, Michael C. Hall realmente nasceu pro papel)

Estou bem ansiosa para ler os outros da série, pois soube que a historia muda totalmente de rumo, ou seja, menos expectativas e mais surpresas.

Como diz na orelha do livro: “Nunca o macabro foi tratado com tanto refinamento e leveza. Dexter Morgan é uma obra-prima.”.


Formô!