Show do Steve Vai em Porto Alegre

Opa! Tudo bom? Hoje vou contar um pouco sobre como foi o show do Steve Vai em Porto Alegre no dia 6 de junho de 2017, no teatro Araújo Vianna! 

porto alegre

O guitarrista icônico Steve Vai voltou ao Brasil trazendo dessa vez a turnê inédita do disco “Passion and Warfare”, em homenagem aos 25 anos do álbum. E por falar em aniversário, o músico estava completando 57 anos no dia do show. Além disso, o responsável pela abertura do show foi o músico gaúcho Erick Endres, que fez uma apresentação ótima! 

Pontualmente, o espetáculo começou com uma cena do duelo entre Steve Vai e Ralph Macchio do filme “Crossroads” no telão. Logo em seguida, Vai subiu ao palco todo vestido de luzes de led na roupa e lasers vermelhos saindo do óculos. Acompanhando de Phil Bone (baixo), Dave Weiner (guitarra) e Jeremy Colson (bateria), os músicos tocaram “Bad Horsie” (do disco “Alien Love Secrets”, 1995), “The Crying Machine” (do “Fire Garden”, 1997) e “Gravity Storm” (do “The Story of Light”, 2012). Sou a maior das manteigas derretidas em shows e sempre choro em algum momento. Tinha decidido que dessa vez não ia chorar, mas falhei miseravelmente em “Whispering a Prayer”. Lindo demais! 

porto alegre

Na sequência, Vai e os companheiros apresentaram o disco ‘Passion and Warfare’ na íntegra como prometido. Logo na primeira, ‘Liberty’, Vai contou com uma participação virtual do guitarrista Brian May (do Queen). As clássicas ‘Erotic Nightmares’ e ‘The Animal’ também empolgaram muito o público. “Answers” foi a segunda música a ter participação no telão. Dessa vez o companheiro de guitarra, Joe Satriani, brincou com perucas e máscaras enquanto dividia a guitarra com Vai. 

‘The Riddle’ e ‘Ballerina 12\24” também tocadas com perfeição, seguidas do hino “For the Love of God” (onde falhei mais uma vez tentando não chorar). O teatro do Araújo Vianna tem os setores muito próximos uns dos outros, o que normalmente faz o pessoal levantar no meio do show e ficar trocando de lugar na maior chafurda, o que definitivamente não aconteceu dessa vez. A platéia estava literalmente hipnotizada pelo brilho e maestria de Steve Vai. 


Depois, “The Audience is Listening” iniciou com o videoclipe clássico no telão, e no final apareceu mais uma participação virtual: John Petrucci, que brincou e tocou junto do músico. “I Would Love To” também foi tocada acompanhada do clipe, um vídeo bem farofeiro e divertido. Bem típico dos anos 90. “Blue Powder” e “Greasy Kid's Stuff” mantém o público empolgado, e a banda encerra a passagem do disco com o trio “Alien Water Kiss”, “Sisters” e “Love Secrets”. 

Steve Vai foi extremamente simpático ao longo do show, brincou com o público, fez piada sobre seu aniversário e apresentou seus colegas da banda. No bloco final, Vai tocou ‘Stevie’s Spanking’ em homenagem ao músico e amigo Frank Zappa seguida de “Racing the World”. Pouco antes da música final, a equipe do músico subiu ao palco e puxou um “Parabéns” ao artista. O show encerrou com “Fire Garden Suite IV – Taurus Bulba”. 


Steve Vai é um mestre atemporal! O show estava muito emocionante e impecável. Com certeza será uma noite inesquecível para todos que estavam presentes. Assista também a este resumo do show junto de algumas cenas gravadas por mim no vídeo abaixo:


Obrigada Abstratti Produtora pelo credenciamento!!

Nenhum comentário

Pode comentar à vontade, mas lembre-se que escrevi e produzi este post com muito carinho e dedicação, portanto comentários apenas com links, ~adorei, tchau~ ou ~não conheço, bjs~ serão ignorados :(

Porém, se comentares a respeito do post, mesmo se desconhecer do assunto, irei retribuir em seu blog com carinho :)